A gestão dos impostos como momento central da distribuição justa da riqueza: o caso da Autoridade Tributária de Moçambique

Autores

  • Custódio João Cuco Instituto Superior de Gestão e Empreendedorismo Gwaza Muthini

DOI:

https://doi.org/10.18540/revesvl5iss2pp13930-01e

Palavras-chave:

Fuga do Fisco, Equidade Fiscal, Funcionamento Técnico, Corrupção dos Funcionários.

Resumo

Este artigo tenciona analisar uma questão de fundamental relevância nas sociedades contemporâneas: o pagamento dos impostos como forma de redistribuição da riqueza, com enfoque especial para a fuga ao fisco. De forma específica, o estudo debruça-se sobre a realidade de um país africano, Moçambique, em que, por um lado, as pesquisas sobre o tema são escassas, e por outro, o governo local confiou à Autoridade Tributária a tarefa de colectar os impostos dos contribuintes. Mediante uma abordagem qualitativa, de tipo histórico e sociológico, a partir da análise da actividade da Autoridade Tributária Moçambicana, o estudo conclui que o valor dos impostos arrecadado por parte da Autoridade Tributária ainda está aquém do desejado. Tal circunstância deve-se a factores estruturais, tais como escassa formação do pessoal técnico e ausência de uma base de dados fiável, assim como subjetivos, acima de tudo uma corrupção difusa entre os funcionários daquela instituição, que torna complicado o bom funcionamento da mesma, que não consegue cumprir com as suas próprias metas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-03-13

Como Citar

Cuco, C. J. (2022). A gestão dos impostos como momento central da distribuição justa da riqueza: o caso da Autoridade Tributária de Moçambique . REVES - Revista Relações Sociais, 5(2), 13930–01e. https://doi.org/10.18540/revesvl5iss2pp13930-01e