O Ensino Médio:

do direito à universalização a impossibilidades das juventudes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47328/rpv.v13i2.16239

Palavras-chave:

Insucesso escolar, Universalização da educação básica, Juventude, Ensino médio

Resumo

Este artigo tem como proposta problematizar algumas ideias que possam contribuir para o debate sobre o Ensino Médio. Busca discutir essa etapa através das análises de indicadores de rendimento escolar (evasão, repetição e abandono), partindo da realidade nacional para a rede educacional pública no Rio Grande do Sul e suas implicações no município de Sapiranga/RS, com recorte temporal de 2017-2021. Abordando a Emenda Constitucional n° 59/2009 e a Meta 3 do Plano Nacional de Educação-PNE, que versa sobre a universalização do Ensino Médio. Pautando essa etapa como um dos principais desafios da universalização da educação básica, discute as condições existentes nas instituições, as políticas educacionais em curso e os desafios impostos pela realidade social, econômica e política, que implicam no insucesso escolar. Evidenciou-se que a falta de financiamento público e o não comprometimento com as metas educacionais, revelam o projeto societário capitalista das classes dominantes, que produz desigualdades e mantém privilégios, configurando-se, desta forma, como um projeto de subalternidade de oportunidades e de negação do direito à educação às juventudes. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ismael Martins Boeira, Universidade Feevale

 Pedagogo e Mestrando em Diversidade Cultural e Inclusão Social pela Universidade FEEVALE.

Dinora Tereza Zucchetti, Universidade Feevale

 Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente no Programa de Pós-Graduação em Diversidade Cultural e Inclusão Social da Universidade Feevale

Gabriel Grabowski, Universidade Feevale.

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente no Programa de Pós-Graduação em Programa de Qualidade Ambiental e Mestrado em Psicologia da Universidade Feevale.

Gaudêncio Frigotto, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Mestre e Doutor em Educação. Professor titular em Economia Política da Educação na Universidade Federal Fluminense (aposentado) e, atualmente, professor no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

REFERÊNCIAS

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm . Acesso em: 03 dez. 2022.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 05 dez. 2022.

BRASIL. Emenda constitucional nº. 59, de 11 de novembro de 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc59.htm.Acesso em: 03 dez. 2022.

BRASIL. Lei nº 12.852, de 5 de agosto de 2013. Institui o Estatuto da Juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e diretrizes das políticas públicas de juventude e o Sistema Nacional de Juventude-SINAJUVE. Diário Oficial da União.Disponível em: https://bityli.com/3TiMy Acesso em: 03 dez. 2022.

BRASIL. Plano Nacional de Educação 2014-2024: Lei no 13.005, de 25 de junho de 2014, que aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. – Brasília: Câmara dos Deputados. Disponível em:https://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014 . Acesso em: 17 nov. 20222.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Ensino Médio. Brasília: MEC. Versão entregue ao CNE em 03 de abril de 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/historico/BNCC_EnsinoMedio_embaixa_site_110518.pdf . Acesso em: 04 nov 2022.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística -IBGE. PNAD Educação 2019: Mais da metade das pessoas de 25 anos ou mais não completaram o ensino médio [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2020 Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/28285-pnad-educacao-2019-mais-da-metade-das-pessoas-de-25-anos-ou-mais-nao-completaram-o-ensino-medio. Acesso em: 04 nov 2022.

CAMPANHA NACIONAL PELO DIREITO À EDUCAÇÃO. Balanço do Plano Nacional de Educação: São Paulo, 2022. Disponível em: https://media.campanha.org.br/acervo/documentos/00_BalancoPNE_Cartelas2022_ok_1.pdf. Acesso em: 02 de nov 2021

CURY, Carlos Roberto Jamil. A educação básica como direito. Cadernos de pesquisa, v. 38, p. 293-303, 2008.

CURY, Carlos Roberto Jamil. A globalização e os desafios para os sistemas nacionais: agenda internacional e práticas educacionais nacionais. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 33, n. 1, p. 15-34, 2017.

CURY, Carlos Roberto Jamil. O Ensino Médio sempre foi a pedra de toque da desigualdade social expressa na desigualdade educacional.[Entrevista cedida a] Cátia Guimarães. EPSJV/Fiocruz, v. 3, 2019.

DO SUL, Rio Grande. Lei nº 14.705, de 25 de junho de 2015. Institui o Plano Estadual de Educação–PEE?, em cumprimento ao Plano Nacional de Educação–PNE?, aprovado pela Lei Federal, n. 13.005, 2015.Disponível em: https://www.al.rs.gov.br/filerepository/repLegis/arquivos/LEI%2014.705.pdf . Acesso em: 17 nov. 2022.

DAYRELL, Juarez. A escola como espaço sócio-cultural. In: DAYRELL, J. (org.). Múltiplos olhares sobre a educação e cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1996.

DAYRELL, Juarez. A escola" faz" as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. Educação & Sociedade, v. 28, p. 1105-1128, 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 26. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

FREIRE, Paulo. Conscientização. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979

FRIGOTTO, Gaudêncio, CIAVATTA, Maria, RAMOS, Marise. (Org.). Ensino médio integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005a.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A gênese do decreto N. 5.154/2004 um debate no contexto controverso da democracia restrita. Revista Trabalho Necessário, v. 3, n. 3, 2005b.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. Perspectivas sociais e políticas da formação de nível médio: avanços e entraves nas suas modalidades. Educ. Soc., Campinas, v. 32, n. 116, p. 619-638, jul. 2011

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. Ensino Médio no Brasil: (im)possibilidades político históricas. In: MOLL, Jaqueline; GARCIA, Sandra Regina de Oliveira (Orgs.). Ensino Médio para todos no Brasil: que Ensino Médio? 1.ed. Porto Alegre: Cirkula, 2020. p. 45-68.

GRABOWSKI, Gabriel. Brasil descumpre 86% das metas do Plano Nacional de Educação . Extra Classe, 2022a. Disponível em: https://www.extraclasse.org.br/opiniao/2022/07/brasil-descumpre-86-das-metas-do-plano-nacional-de-educacao/. Acesso em: 5 dez. 2022.

GRABOWSKI, Gabriel. A usurpação dos recursos do Fundeb. Extra Classe, 2022. Disponível em:https://www.extraclasse.org.br/opiniao/2022/07/brasil-descumpre-86-das-metas-do-plano-nacional-de-educacao/. Acesso em: 5 dez. 2022.

GRABOWSKI, Gabriel. Como mentir com estatísticas educacionais. Jornal Extra Classe: Porto Alegre, março de 2023: acessado 22/07/2023, 18h

https://www.extraclasse.org.br/opiniao/2023/03/como-mentir-com-estatisticas-educacionais/?fbclid=IwAR0ZdF2G11xlnnFJPDy-p-yXXL-jho8gjroPPbI-GNB5D8CLFLb0c-zHCok

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua de 2023. Brasília: IBGE, 2023. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/media/com_mediaibge/arquivos/8100b5c6e47300b5b9596ced07156eda.pdf . Acesso em: 10/05/2023.

SANTANA,Iula. MOLL, Jaqueline. Direito ao ensino médio e os governos do Rio Grande do Sul no período Pós-Emenda Constitucional nr. 59/2009: Discursos, propostas e descontinuidades.In: GRABOWSKI, Gabriel. Desmonte da Educação Pública – Políticas educacionais, Ensino Médio, Pandemia e EaD. Porto Alegre: Carta, 2020.

NOSELLA. Paolo. Ensino médio à luz do pensamento de Gramsci. Campinas/SP: Alínea, 2016.

KRAWCZYK, Nora. Políticas para ensino médio e seu potencial inclusivo. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPED, 36., 2013, Goiânia. Anais.Goiânia: ANPED, 2013.

KRAWCZYK, Nora. Reflexão sobre alguns desafios do ensino médio no Brasil hoje. Cadernos de pesquisa, v. 41, p. 752-769, 2011.

RIBEIRO, Darci. Sobre o óbvio. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

SAPIRANGA/RS, Lei Municipal nº 5636/2015. Institui o Plano Municipal de Educação - PME, para o período de 2015 à 2025, e dá outras providências. Disponível em: http://www.ufrgs.br/monitoramentopne/planos-municipais-de-educacao-rs/s/sapiranga . Acesso em: 17 nov. 2022.

SOUZA, Jessé. Para Compreender a Desigualdade Brasileira. Teoria e Cultura. UFMG. Belo Horizonte, v. 1, n. 2, jul/dez, p. 83-100, 2006

SOUZA, Jessé. A Ralé Brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: Ed. UFMG; 2009.

SOUZA, Jessé. A parte de baixo da sociedade brasileira. Revista Interesse Nacional, v. 14, n. 4, p. 33-41, 2011.

TANNO, Claudio. Ministério da Educação: Despesas Primárias Pagas 2015-2020, Impacto da EC Nº 95/2016 (Teto de gastos) e Orçamento para 2021. Estudo Técnico nº 19/2021. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/orcamento-da-uniao/estudos/2021/NT19_2021MECdespesasprimriasetetodegastos.pdf Acesso em 06 de nov. 2022.

Downloads

Publicado

15-05-2024

Como Citar

MARTINS BOEIRA, I.; TEREZA ZUCCHETTI, D.; GRABOWSKI, G.; FRIGOTTO, G. O Ensino Médio: : do direito à universalização a impossibilidades das juventudes. Revista Ponto de Vista, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 01–21, 2024. DOI: 10.47328/rpv.v13i2.16239. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/16239. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Científicos