ANÁLISE EVOLUTIVA SÓCIO PRODUTIVA DE ALIMENTOS NA AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE CRISSIUMAL-RS

  • Eduardo Canepelle Acadêmico do curso de bacharelado em Agronomia. Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS Unidade em Três Passo-RS
  • Jocieli Caroline Steinhaus Acadêmica do curso de bacharelado em Agronomia. Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS Unidade em Três Passo-RS
  • Patricia Inês Kemper Back Acadêmica do curso de bacharelado em Agronomia. Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS Unidade em Três Passo-RS
  • Luciane Sippert Docente da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS. Unidade em Três Passos-RS
  • Danni Maisa da Silva Docente da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS. Unidade em Três Passos-RS
  • Marciel Redin Docente da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS. Unidade em Três Passos-RS
  • Robson Evaldo Gehelen Bohrer Docente da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS. Unidade em Três Passos-RS
  • Divanilde Guerra Docente da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS. Unidade em Três Passos-RS
Palavras-chave: Agricultura Familiar, Erosão Alimentar, Êxodo rural.

Resumo

A agricultura familiar é considerada a base da produção de diversos alimentos. Porém, nos sistemas de produção atuais, muitas alterações sócio produtivas estão ocorrendo, levando à redução de áreas de plantio para subsistência familiar e a perdas de diversidade de culturas. Desta forma, objetivo do presente trabalho foi avaliar as mudanças ocorridas na população e produção de alimentos na agricultura familiar do município de Crissiumal ao longo dos últimos anos. A metodologia utilizada para a realização do trabalho consistiu em pesquisa de campo com moradores dos distritos do Município, bem como com entidades públicas que trabalham diretamente com o setor agrícola. Como resultados, observou-se uma redução drástica na população do meio rural, bem como na área destinada à produção de alimentos de subsistência, de aproximadamente 1,5 a 10 hectares para áreas inferiores a 0,5 hectare. Além disso, observou-se uma redução considerável no número de espécies cultivadas, pois antigamente os principais cultivos para o consumo familiar eram: feijão, batata-doce, batatinha inglesa, cebola, amendoim, dentre outros; atualmente, são produzidos apenas alimentos de consumo primário, como hortaliças, mandioca e batata-doce e, como consequência disso, pode-se constatar alterações nos hábitos alimentares, devido à dependência de alimentos processados. Portanto, contata-se redução considerável a partir da revolução verde? na população do meio rural, área e na diversidade de produção de alimentos pelos agricultores do município de Crissiumal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAMOVAY, R. Agricultura familiar e desenvolvimento territorial. In: Paradigmas do Capitalismo em Questão. Reforma agrária, v. 28, n. 1, p.4, 1998, São Paulo. Disponível em < http://www2.fct.unesp.br/docentes/geo/bernardo/BIBLIOGRAFIA%20DISCIPLINAS%20POSRADUACAO/SACO%20DE%20BATATAS/Paradigmas%20do%20Capitalismo%20Agr%C3%A1rio%20Em%20Quest%C3%A3o%20(Cap%20I).pdf> Acesso em 07 set. 2017.

ALTIERI, M. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Guaíba: Agropecuária, 2002. 592p.

ALTIERI, M. Agroecologia, agricultura camponesa e soberania alimentar. In: Revista Nera – ANO 13, Nº. 16, 2010. Disponível em < reformaagrariaemdados.org.br/sites/default/files/1362-3896-1-PB.pdf> Acesso em 07 set. 2017.

ANTÃO, de S. R. A.; CAMPANHOLO, T.. O crédito rural no contexto do desenvolvimento econômico e social. Disponível em< http://www.catolicaonline.com.br/revistadacatolica2/artigosv3n5/artigo03.pdf> Acesso em 07 set.2017.

BARBOSA, F.et al. Plano Estratégico de Desenvolvimento da Região Celeiro- RS. Ijuí: Ed. Unijuí, 2010. 76 p.

BELIK, W.; SILIPRANDI, E. Hábitos Alimentares, Segurança e Soberania Alimentar. VILARTA, R.; Gustavo L. GUTIERREZ, GL; MONTERIO, MI (Orgs.). Qualidade de Vida: Evolução dos Conceitos e Práticas no Século XXI, v. 1, p. 187-196, 2010. Disponível em < https://www.fef.unicamp.br/fef/sites/uploads/deafa/qvaf/evolucao_cap20.pdf >Acesso em 07 set. 2017.

CARVALHO FILHO, J. J. A produção de alimentos e o problema da segurança alimentar. Estudos Avançados, v. 9, n. 24, p. 173-193, 1995. Disponível em< http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40141995000200008&script=sci_arttext&tlng=pt > Acesso em 07 set. 2017.

CASTRO, A.C.Q. Impactos regionais de mudanças tecnológicas na agropecuária: Região Celeiro do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2001. 194p. Dissertação (Mestrado em Economia Rural). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.Disponivel em < http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/1667> Acesso em 07 set. 2017.

CAMARANO, A. A.; ABRAMOVAY, R. Êxodo rural, envelhecimento e masculinização no Brasil: panorama dos últimos 50 anos. 1999. Disponível em < http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/2651> Acessado em 07.set.2017

CAMPOS, K. R. Movimento slow food: uma crítica ao estilo de vida fast food. [monografia]. Brasília (DF): Universidade de Brasília; 2004. Disponível em< http://bdm.unb.br/handle/10483/393>Acessado em 07 set. 2017

FIGUEIRÊDO R. et al. Mudanças de Hábitos Alimentares em comunidades Rurais do semiárido da Região Nordeste do Brasil. Interciencia, v. 40, n. 5, 2015. Disponível em < http://www.redalyc.org/html/339/33937066007/> Acesso em 07 set. 2017.

FRANÇA, F., et al. Mudanças dos hábitos alimentares provocados pela industrialização e o impacto sobre a saúde do brasileiro. In: Anais do I Seminário Alimentação e Cultura na Bahia, 2012, Bahia. Disponível em < http://www2.uefs.br:8081/cer/wp-content/uploads/FRANCA_Fabiana.pdf> Acesso em 07 set. 2017.

HOLT-GIMENEZ, E.; ALTIERI, M. A.; ROSSET, Peter. Posição Política de Food First nº 12: Dez Razões pelas quais a Aliança por uma Nova Revolução Verde, promovida pelas Fundações Rockfeller e Bill & Melinda Gates, não resolverá os problemas de pobreza e fome na África Subsaariana. 2006. Disponível em < https://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/30823160/PB12-10ReasonsPortuguese.pdf?AWSAccessKeyId=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A&Expires=1520608164&Signature=RX54IkTmeXgS023YxLMoPWzFVSw%3D&response-content-disposition=inline%3B%20filename%3DPosicao_Politica_de_Food_First_no_12_Dez.pdf> Acesso em 07.set.2017.

GUILHOTO, Joaquim JM et al. A importância da agricultura familiar no Brasil e em seus estados. Brasília: NEAD, 2007. Disponível em < https://www.researchgate.net/profile/Carlos_Azzoni/publication/4731981_A_IMPORTANCIA_DA_AGRICULTURA_FAMILIAR_NO_BRASIL_E_EM_SEUS_ESTADOS/links/0fcfd5089e9a9ec637000000/A-IMPORTANCIA-DA-AGRICULTURA-FAMILIAR-NO-BRASIL-E-EM-SEUS-ESTADOS.pdf>Acesso em 07 set. 2017.

MANTELLI, Jussara. O setor agrário da região noroeste do Rio Grande do Sul. 2006. Disponível em < http://repositorio.furg.br/handle/1/1094> Acesso em 07 set. 2017

MACHADO, R. T. Análise sócio econômica e perspectivas de Desenvolvimento para os produtores de Leite do município de Crissiumal – RS. 2001. 155p.Dissertação(Mestrado em Programa de pós-graduação em Desenvolvimento Rural) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre,2001.

OLIVEIRA, et al. Êxodo rural e sua problemática em relação ao meio ambiente e sociedade civil. In: Unioeste, 2011, Paraná. Disponível em < http://cac-php.unioeste.br/eventos/geofronteira/anais2011/Arquivos/Artigos/GESTAO/Artigo75.pdf> Acesso em 07 set. 2017.

OLIVEIRA, P. 1989. Notas sobre a História da Agricultura através do tempo. In: Projeto Tecnologias Alternativas – FASE, 1989.39p.

PLETSCH, José Raimundo. História de Crissiumal. Editor Colégios Salesiano- Dom Bosco. Santa Rosa - RS, 1997.

PRESSER, M. F.; et al. O desenvolvimento do capitalismo na agricultura do Rio Grande do Sul: 1920-1975. 1978.Disponivel < http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/285666/1/Presser_MarioFerreira_M.pdf>Acesso em 07 set. 2017.

REINEHR, C. e SOUTES, D. Agricultura familiar: um estudo de caso em uma propriedade. In: Unioeste, 2016, Paraná. Disponível em < midas.unioeste.br/sgev/eventos/278/downloadArquivo/18112> Acesso em 07 set. 2017.

SANTOS, R. F. dos. Análise crítica da interpretação neoclássica do processo de modernização da agricultura brasileira. In: SANTOS, R.F. dos. Presença de viéses de mudança técnica da agricultura brasileira. São Paulo: USP/IPE, 1986.

SCHALLENBERGER, E.; HARTMANN, H. R. Nova terra, novos rumos: a experiência de colonização e povoamento na Grande Santa Rosa. Santa Rosa, RS; Barcellos Livreiro e Editor, 1981.

SCHNEIDER, S. As transformações recentes da agricultura familiar no Rio Grande do Sul: o caso da agricultura em tempo parcial. Ensaios FEE, v. 16, n. 1, p. 104-129, 1995. Disponível< file:///C:/Users/Cliente/AppData/Local/Packages/Microsoft.MicrosoftEdge_8wekyb3d8bbwe/TempState/Downloads/1747-7234-1-PB.pdf> Acesso em 07 set. 2017.

SCHNEIDER, S.; FIALHO, M. A. V. Pobreza rural, desequilíbrios regionais e desenvolvimento agrário no Rio Grande do Sul. Teoria e Evidência Econômica, v. 8, n. 15, p. 117-149, 2000. Disponível em < https://www.researchgate.net/profile/Sergio_Schneider/publication/228583692_Pobreza_rural_desequilibrios_regionais_e_desenvolvimento_agrario_no_Rio_Grande_do_Sul/links/5508825c0cf27e990e0bd547.pdf> Acesso em 07 set. 2017.

SCHWANKE, T. M. L.; POHL, V. L. B. Da Criciúma a Crissiumal. 1.ed. Três de Maio: SETREM, 2007.163p.

TRENNEPOHL, D.; MACAGNAN, R. Impactos Ambientais da dinâmica de desenvolvimento da Região Noroeste do Colonial do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, 4:195-220, 2008.
Publicado
2018-08-16
Como Citar
Canepelle, E., Steinhaus, J. C., Kemper Back, P. I., Sippert, L., da Silva, D. M., Redin, M., Gehelen Bohrer, R. E., & Guerra, D. (2018). ANÁLISE EVOLUTIVA SÓCIO PRODUTIVA DE ALIMENTOS NA AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE CRISSIUMAL-RS. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 8(2). https://doi.org/10.21206/rbas.v8i2.492
Seção
Artigos