Capital Racial: poder simbólico e estrutura de dominação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18540/revesvl4iss4pp13247-01-13e

Palavras-chave:

Capital Racial, Raça, Identidade, Classe, Estado

Resumo

O autor apresenta originalidade no olhar concernente à compreensão do racismo enquanto estrutura, suas correlatas consequências e os dispositivos sociais e cognitivos que permitem sua permanência. Resultado de uma instigante e genuína pesquisa qualitativa, onde aplicou-se a técnica de grupo focal junto a jovens negros e brancos, em diálogo a um robusto aparato teórico, o autor construiu o conceito de capital racial e o apresenta como uma chave de compreensão do racismo em sua concepção de estrutura estruturante e um poder simbólico e suas perspectivas paradigmáticas. Em seu desenvolvimento, demonstra como o capital racial inculcou (inculca) nos corpos e nas mentes a representação depreciada sobre as pessoas negras, sua cultura e modos de vida e, sobretudo, como esta transita para o universo das relações materiais e econômicas, redefinindo valorações e mantendo intactas, no século XXI, as hierarquias observadas na sociedade colonial. Sob a retórica da cidadania, igualdade de direitos e universalidade a desvaloração simbólica segue definindo o lugar da população negra nas sociedades, em oposição a população considerada branca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-10-07

Como Citar

Costa Junior, J. da. (2021). Capital Racial: poder simbólico e estrutura de dominação. REVES - Revista Relações Sociais, 4(4), 13247-01. https://doi.org/10.18540/revesvl4iss4pp13247-01-13e

Edição

Seção

General Papers/Artigos