ANÁLISE DE CUSTO DE SISTEMAS DE SECAGEM DE MILHO EM SECADORES MECÂNICOS

Douglas Romeu Costa, Adílio Flauzino de Lacerda Filho, Juarez de Sousa e Silva, Daniel Marçal de Queiroz, Pedro Nogueira Lima, Juliana Pinheiro Dadalto

Resumo


Objetivou-se, com este trabalho, analisar a viabilidade do uso de secadores rotativos, com distribuição radial de ar,
utilizados na cafeicultura, para a secagem de milho. Avaliou-se o consumo de energia e o custo de secagem do produto. A
temperatura do ar de secagem foi controlada em 80 e 100 °C. Os sistemas de secagem foram compostos por um secador
rotativo comercial e um secador rotativo modificado. Utilizou-se o GLP como fonte de energia para o aquecimento
complementar do ar de secagem. O milho em grãos (Zea mays L.), com teor inicial de água de aproximadamente 18,6% b.u., foi usado no experimento. Para a avaliação da eficiência energética dos sistemas de secagem, foram determinados o consumo específico de energia, os consumos de combustível e de energia elétrica. Pelos resultados, verificou-se menor consumo específico de energia no secador rotativo modificado. A susceptibilidade à quebra do produto foi inferior a 5%. A percentagem média de trinca total do milho no secador comercial (SC 80 e SC 100) foi 17,6% superior àquela obtida com secador modificado (SM 80 e SM 100). O custo total médio de secagem no secador comercial (SC 80 e SC 100) foi menor que o obtido com o secador modificado (SM 80 e SM 100).

Palavras-chave


Energia; Secagem

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13083/reveng.v18i1.47

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Licença Creative Commons

Revista Engenharia na Agricultura / Engineering in Agriculture | Viçosa, MG, ISSN 2175-6813