ANÁLISE DE CUSTO DE SISTEMAS DE SECAGEM DE MILHO EM SECADORES MECÂNICOS

  • Douglas Romeu Costa
  • Adílio Flauzino de Lacerda Filho
  • Juarez de Sousa e Silva
  • Daniel Marçal de Queiroz
  • Pedro Nogueira Lima
  • Juliana Pinheiro Dadalto
Palavras-chave: Energia, Secagem

Resumo

Objetivou-se, com este trabalho, analisar a viabilidade do uso de secadores rotativos, com distribuição radial de ar, utilizados na cafeicultura, para a secagem de milho. Avaliou-se o consumo de energia e o custo de secagem do produto. A temperatura do ar de secagem foi controlada em 80 e 100 °C. Os sistemas de secagem foram compostos por um secador rotativo comercial e um secador rotativo modificado. Utilizou-se o GLP como fonte de energia para o aquecimento complementar do ar de secagem. O milho em grãos (Zea mays L.), com teor inicial de água de aproximadamente 18,6% b.u., foi usado no experimento. Para a avaliação da eficiência energética dos sistemas de secagem, foram determinados o consumo específico de energia, os consumos de combustível e de energia elétrica. Pelos resultados, verificou-se menor consumo específico de energia no secador rotativo modificado. A susceptibilidade à quebra do produto foi inferior a 5%. A percentagem média de trinca total do milho no secador comercial (SC 80 e SC 100) foi 17,6% superior àquela obtida com secador modificado (SM 80 e SM 100). O custo total médio de secagem no secador comercial (SC 80 e SC 100) foi menor que o obtido com o secador modificado (SM 80 e SM 100).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-02-24
Como Citar
Costa, D. R., de Lacerda Filho, A. F., Silva, J. de S. e, Queiroz, D. M. de, Lima, P. N., & Dadalto, J. P. (2010). ANÁLISE DE CUSTO DE SISTEMAS DE SECAGEM DE MILHO EM SECADORES MECÂNICOS. REVISTA ENGENHARIA NA AGRICULTURA - REVENG, 18(1), 62-76. https://doi.org/10.13083/reveng.v18i1.47
Seção
.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##