Hegel no tempo do fim: a filosofia contra o relógio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18540/revesvl4iss1pp10001-10014

Palavras-chave:

Hegel, Tarefa da filosofia, Tempo do Fim, Günther Anders

Resumo

No prefácio que escreveu à sua Filosofia do Direito, Hegel debate criticamente com seus contemporâneos e oferece uma das principais colaborações sobre o papel da filosofia e dos filósofos desenvolvidas na modernidade, defendendo a paciência como atributo indispensável ao fazer filosófico. O texto completa 200 anos em meio à pandemia de Covid-19, quando não apenas o vírus, mas também acaloradas contendas filosóficas se alastram em escala global. Em meio a esse cenário, a comemoração do bicentenário do prefácio traz à tona a pergunta: será que é possível filosofar no calor da hora? Motivados por esta questão, buscamos contrapor a leitura do texto hegeliano ao diagnóstico do tempo presente desenvolvido por Günther Anders, em suas “Teses para a Era Atômica”, a fim de refletir acerca do tempo adequado ao exercício filosófico e das dificuldades enfrentadas pela filosofia em momentos de emergência, quadro em que o coronavírus é apenas o mais recente episódio daquilo que Anders caracterizou como “Tempo do Fim”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-01-02

Como Citar

LEITE, M.; PETERS, C. Hegel no tempo do fim: a filosofia contra o relógio. REVES - Revista Relações Sociais, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 10001-10014, 2021. DOI: 10.18540/revesvl4iss1pp10001-10014. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11109. Acesso em: 22 jan. 2021.

Edição

Seção

General Papers/Artigos