Avaliação de suportes magnéticos utilizados para imobilização da lipase de candida rugosa

Autores

  • Otávio Domingues Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Letícia Karen dos Santos
  • Rondinelli Donizetti Herculano https://orcid.org/0000-0001-7236-0847
  • Danilo Luiz Flumignan
  • Ariela Veloso de Paula

DOI:

https://doi.org/10.18540/jcecvl6iss4pp0498-0504

Palavras-chave:

Espectroscopia de infravermelho, Imobilização de enzimas, Ligação Covalente, Maghemita, Nanopartículas magnéticas

Resumo

Atualmente, o uso de nanopartículas magnéticas tem despertado interesse em processos industriais, e a combinação de suas propriedades com a imobilização de lipases tem sido desenvolvida a fim de produzir suportes de fácil separação do meio reacional. Nesse contexto, o objetivo do presente estudo foi imobilizar a lipase de Candida rugosa em nanopartículas magnéticas, como magnetita e maghemita, por adsorção física e ligação covalente. Os biocatalicadores foram avaliados por espectroscopia de infravermelho (FTIR) e análise de atividade hidrolítica. Dessa forma, a partir das análises realizadas, o melhor biocatalisador obtido foi o imobilizado por ligação covalente em maghemita, apresentando atividade hidrolítica de 174,67 U/g.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-10-21

Como Citar

DOMINGUES, O.; SANTOS, L. K. dos; HERCULANO, R. D.; FLUMIGNAN, D. L.; PAULA, A. V. de. Avaliação de suportes magnéticos utilizados para imobilização da lipase de candida rugosa. The Journal of Engineering and Exact Sciences, [S. l.], v. 6, n. 4, p. 0498-0504, 2020. DOI: 10.18540/jcecvl6iss4pp0498-0504. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/jcec/article/view/10858. Acesso em: 30 nov. 2020.

Edição

Seção

General Articles