Impactos do programa Bolsa Família em Muriaé/MG: mudanças e permanências

  • Grasiele Costa dos Santos Fortini Universidade Federal de Viçosa
  • Maria das Dores Saraiva de Loreto Universidade Federal de Viçosa
  • Douglas Mansur da Silva Universidade Federal de Viçosa

Resumo

RESUMO

A pesquisa, baseada em um estudo de caso, teve como objetivo avaliar os programas de transferência de renda, especificamente o Programa Bolsa Família (PBF), suas mudanças e implicações na redução da pobreza e empoderamento das famílias, no contexto do território de abrangência do município de Muriaé/MG. Metodologicamente fez uso de pesquisa bibliográfica e documental, além de entrevista semiestruturadas junto a famílias beneficiárias. Resultados mostraram que, na percepção das famílias, o programa é entendido como Bolsa Escola, tendo como contribuição o impedimento de situações de fome. Na realidade de Muriaé, o PBF prioriza a transferência de renda, razão por que as chances de ser considerado “portas de saída da pobreza e da exclusão social” são limitadas. Conclui-se que o programa não conduziu as famílias beneficiárias ao empoderamento, para que o peso da pobreza e da exclusão, corporificado nas experiências vividas, fosse substituído por práticas cidadãs, num contexto de inclusão social.

Palavras-chave: Programa Bolsa Família; implicações; Empoderamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Grasiele Costa dos Santos Fortini, Universidade Federal de Viçosa

Graduada em Serviço Social pelas Faculdades Santo Agostinho - Faculdade de Ciencias Sociais Aplicadas, Especialista em Planejamento e Gestão Social pela UFJF - Mestranda em Economia Doméstica pelo Departamento de Economia Doméstica da Universidade Federal de Viçosa UFV, Viçosa, MG, Brasil.

Maria das Dores Saraiva de Loreto, Universidade Federal de Viçosa

Bacharela e Licenciada em Economia Doméstica, 1973, UFV. Bacharela em Ciências Econômicas, 1996, UFV. M.S. Economia Rural, 1976, UFV; D.S. Economia Rural, 1986, UFV. Docente do PPGED/UFV.

Douglas Mansur da Silva, Universidade Federal de Viçosa
Superior em Ciências Sociais, 1997, Universidade Estadual de Campinas; M.S. Antropologia, 2000, Universidade Estadual de Campinas; Superior em Ciências Sociais, 2001, Universidade Estadual de Campinas; D.S. Antropologia, 2007, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Docente da UFV

Referências

REFERÊNCIAS

BALSA, Casimiro, et. al. Conceitos e dimensões da pobreza e da exclusão social: uma abordagem transnacional. Lisboa: Unijui, 2006.
BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.
BELIK, Walter. Planejamento e Resultados da Política de Segurança Alimentar no Brasil. Revista Internacional em Língua Portuguesa. n 25, p.66-87, 2012.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 2ª edição. Rio de Janeiro. RJ. Editora Bertrand Brasil, 1998.

BRASIL. Lei n° 11.346 de 15 de setembro de 2006 – Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional - LOSAN - Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN. Brasília: DF, 2006.

CARVALHO, Maria do Carmo Brant de. Família Brasileira a Base de Tudo. São Paulo: Cortez, 2005.
CASTEL, R. As armadilhas da exclusão. Desigualdade e Questão Social. 2ªed. São Paulo: EDUC, 2004.

CASTELLS, M. Sociedade em rede. (A Era da informação: Economia, Sociedade e cultura, vol. 1). 10 ª edição. São Paulo, SP. Editora Paz e Terra, 2007.

IAMAMOTO, Marilda Vilela. A questão social no capitalismo. Revista Temporalis/Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Ano 2, n. 3, p. 9-32, 2001
_________. O serviço social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

MARTINS, José de Souza. A sociedade vista do abismo. Novos estudos sobre exclusão, pobreza e classes sociais. 3ª Ed. Petrópolis, RJ: 2008. p. 49-150.

MINAS GERAIS. Diagnóstico Social da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Muriaé. Muriaé: Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, 2010.

MIOTO, R. C. T Cuidados sociais dirigidos à família e segmentos vulneráveis. Capacitação em Serviço Social e política social. Módulo 4: O trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília: UnB, 2000. p. 211-224.

REGO, Valquíria L. et. all. Vozes do Bolsa Família: autonomia, dinheiro e cidadania. 1ª Ed.São Paulo: Unesp, 2013.

ROCHA, Sônia. Pobreza no Brasil afinal, de que se trata? 3ª Ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.
SANTOS, C.L; LORETO, M.D.S; SILVA, N.M; FOGAÇA, A. Avaliação do Projeto Pró Sertão: uma questão do empoderamento das mulheres beneficiárias pelo Programa de Microcrédito para atividades não agrícolas de Sergipe. OIKOS. v. 13, n.2, p. 19-53, 2002

SANTOS, Milton. O Espaço do cidadão. São Paulo: Edusp. 2007.

_______________ Pobreza urbana. São Paulo: Hucitec. 2009.

SARTI, C. A família como espelho: um estudo sobre a moral dos pobres. Campinas-SP: Autores Associados, 1996.

SCHWARTZMAN, Simon. As causas da pobreza. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

SEN, Amartya K. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

STOTZ, Eduardo Navarro. Pobreza e capitalismo. In: Para compreender a pobreza no Brasil. Rio de Janeiro. Contraponto: Escola Nacional de Saúde Pública. 2005, p. 53-72.
TRIOLA, Mário F. Introdução à Estatística. 11ª Ed. Rio de Janeiro: LTC, 2013.
WEISSHEIMER, M. A. Bolsa Família: avanços, limites e possibilidades do programa que está transformando a vida de milhões de pessoas no Brasil. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2010.
Publicado
2016-06-24
Como Citar
Costa dos Santos Fortini, G., Saraiva de Loreto, M. das D., & da Silva, D. M. (2016). Impactos do programa Bolsa Família em Muriaé/MG: mudanças e permanências. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 27(1), 175-213. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3707
Seção
Artigos