Empréstimos consignados e endividamento familiar: estudo junto a servidores/as públicos/as federais em Pernambuco

  • Ana Paula Camboim Leão Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
  • Raquel de Aragão Uchoa Fernandes Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
  • Marcelo Machado Martins Universidade Federal da Integração Latino-Americana

Resumo

O artigo foi elaborado a partir da dissertação desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Se baseia em pesquisa realizada junto aos/às servidore(a)s Técnico-Administrativos da UFRPE e buscou responder como estratégias de endividamento financeiro impactam a vida de servidore(a)s público(a)s Técnico-Administrativos em Educação, em suas práticas de consumo e bem-estar sócio-familiar e profissional. Como objetivo, priorizou-se investigar como as estratégias de endividamento financeiro e contratação de créditos estão afetando a vida de servidore(a)s. Realizou-se um estudo quanti-qualitativo com a distribuição de questionários entre 200 servidore(a)s, obtendo-se o retorno de 90% destes. Para o aprofundamento da pesquisa foram entrevistado(a)s 05 servidore(a)s acerca do desequilíbrio orçamentário. Os resultados apontam que despesas relacionadas ao cotidiano, aliadas às contratações recorrentes de empréstimos consignados, podem contribuir negativamente no orçamento doméstico com repercussões no bem-estar psíquico, pessoal e social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Camboim Leão, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
Mestre do Programa de Pós-Graduação em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social, Especialista em Gestão de Políticas Públicas (2014) e Graduada em Economia Doméstica (2012), tendo obtido todas as titulações pela Universidade Federal Rural de Pernambuco. Atua como Técnica Administrativa da Universidade Federal Rural de Pernambuco desenvolvendo suas atividades na secretaria do Departamento de Educação.
Raquel de Aragão Uchoa Fernandes, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
Possui graduação em Economia Doméstica pela Universidade Federal de Viçosa (2003) e mestrado em Extensão Rural pela mesma Universidade (2007) e doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. É professora do Departamento de Ciências Domésticas da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Faz parte da coordenação do Observatório da Família . É pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre a Mulher, é professora do mestrado em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social e professora do módulo "Família, Infância e Comunidade" no projeto Escola de Conselhos e professora desta temática no curso de especialização em direitos da Criança e Adolescentes para Conselheiros Tutelares e de Direitos. Entre as áreas temáticas de interesse estão: Economia Doméstica; Policitas Sociais; Família; Gênero e Geração; Trabalho; Direitos Humanos; Sistema de Garantia de Direitos de Crianças e Adolescentes; Segurança Alimentar e Nutricional.
Marcelo Machado Martins, Universidade Federal da Integração Latino-Americana
Bacharel em Letras, habilitado como Tradutor e Intérprete Português/Inglês, Licenciado em Letras Português/Inglês pela UNIP (1992), especialista em Língua Portuguesa pela USJT (1995), mestre (2000) e doutor (2005) em Semiótica e Linguística Geral pela USP: FFLCH, com doutorado sanduíche pela ENS: LSH de Lyon e Paris (2001-2002). Desde julho de 2015, é professor de Língua Portuguesa no Ciclo Comum da UNILA, lotado no Instituto Latino-Americano de Arte, Cultura e História. Foi professor na Unidade Acadêmica de Garanhuns: Universidade Federal Rural de Pernambuco de setembro de 2005 a julho de 2015. Na Unidade, assumiu cargos de gestão, como Coordenador Geral dos Cursos de Graduação e Diretor Geral e Acadêmico, além de ter ministrado aulas nos curso de Letras: Português/Inglês e Licenciatura em Pedagogia e na pós-graduação stricto sensu em Ciência Animal e Pastagem. É professor convidado/colaborador no programa de pós-graduação em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social da UFRPE, onde, além de ministrar disciplinas, coorienta pesquisas dos pós-graduandos, inclusive de alunos alocados no programa de pós-graduação Ensino de Ciências. Esporadicamente ministra aulas, planeja e executa palestras e minicursos em cursos de pós-graduação lato sensu. Integra vários grupos de pesquisa, com destaque para a presidência do Congresso Brasileiro de Iniciação Científica em Design e Moda (ABEPEM/Colóquio de Moda), para a vice-coordenação que exerce no GT: Corpo, Moda e Comunicação do Colóquio de Moda; para a atuação no atelier Moda, Corpo e Consumo, integrante do projeto Práticas de vida e produção de sentido na metrópole de São Paulo: regimes de visibilidade, regimes de interação e regimes de reescritura (CPS ? PUC: SP). Desenvolve projetos de ensino e pesquisa relacionados à Semiótica da Narrativa e do Discurso, à Sociossemiótica da Moda/Consumo e à Formação de Professores de Língua Portuguesa (práticas e metodologias). Para essas áreas, atua como revisor conceitual de livros e periódicos especializados. É autor de vários artigos, bem como de introduções e capítulos de livros. Em coautoria, publicou Como fazer Montras (Porto: Vitrimagens, 2004), Discursos da Moda: semiótica, design e corpo (São Paulo: Anhembi Morumbi, 2005); organizou o Caderno de Textos: Educação do Campo (Recife: UFRPE, 2007); coeditou o livro A inovação em discursos publicitários: comunicação, semiótica e marketing, de João Ciaco (São Paulo: Estação das Cores e Letras Editora, 2013 [indicado para o prêmio Jabuti/2014, na área de Comunicação]), e colaborou na pesquisa e na escrita de Vitrinas: história, arte e consumo em São Paulo, de Sylvia Demetresco (São Paulo, Via das Artes/Pancrom, 2014 [Ana Paula Preto Rodrigues Neves e Tula Fyskatoris]).

Referências

Banco Central do Brasil. Guia de excelência de educação na oferta de serviços financeiros: Módulo 1: Serviços de Crédito. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/pre/pef/port/guia_de_excelencia_internet.pdf. Acesso em: 07 de dez. 2014.

______. Operações de crédito. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/?ECOIMPOM. Acesso em 12 de junho 2016. .

______. Relatório de Economia Bancária e Crédito 2014. Disponível em:
http://www.bcb.gov.br/pec/depep/spread/rebc_2014.pdf . Acesso em 12 de jan. 2016.

BARBOSA, Lívia. Sociedade de Consumo. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

BAUMAN, Zigmunt. Vida para o consumo: a transformação das pessoas em mercadorias. Rio de Janeiro, Zahar, 2008.

CARVALHO, Maria do Carmo Brant de. Cotidiano: conhecimento e crítica. São Paulo: Cortez, 2011.

BRUSCHINI, Maria Cristina aranha. MULHER, CASA E FAMÍLIA: Cotidiano nas camadas médias paulistanas. São Paulo: Fundação Carlos Chagas e Editora Vértice, 1990.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO – CNC. Número de famílias endividadas volta a subir em dezembro. Disponível em: http://www.cnc.org.br/noticias/economia/numero-de-familias-endividadas-volta-subir-em-dezembro. Acesso em: 18 de jan. 2016.

CONDSEF. Conferederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal. Antecipação de reajuste. Disponível em: http://servidorpblicofederal.blogspot.com.br/2014/03/sindicato-de-servidores-federais-vai_5.html. Acesso em: 12 de out. 2014.

IBGE. Índice Nacional de Preços ao consumidor Amplo – IPCA. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: http://www.idealsoftwares.com.br/indices/ipca_ibge.html. Acesso em: 10 de dez. 2014.

Ipea. Carta de Conjuntura / Inflação – Setembro 2015. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasília: Ipea, 2015. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/imag/stories/PDFs/conjuntura/150922_cc28_inflacao. Acesso em: 23 de out. 2015.
______. Carta de Conjuntura / Inflação – Março 2016. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasília: Ipea, 2015. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/cartadeconjuntura/index.php/category/inflacao/. Acesso em: 15 de jun. 2016.
LEÃO, Ana Paula Camboim. Empréstimos consignados e endividamento, uma estreita relação entre o(a)s servidore(a)s público(a)s Técnicos-Administrativos em Educação. Dissertação do Programa de Pós-Graduação em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social/UFRPE, 2016.

LEÃO, Ana Paula Camboim; FERNANDES, Raquel de Aragão Uchôa; MARTINS, Marcelo Machado. “O dinheiro como mercadoria: uma análise semiótica”. Cadernos de Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social. Tomo 1, 1º. semestre. Recife: UFRPE, 2015 (no prelo).

MANDEL, Ernest. O Capitalismo Tardio. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

MANKIW, Nicholas Gregory. Introdução à Economia. São Paulo: Thomsom Learning, 2006.

MOTA, Ana Elizabete. Crise contemporânea e as transformações na produção capitalista. SERVIÇO SOCIAL: Direitos Sociais e Competências Profissionais, 2009.

PADILHA, Valquíria. Shopping Center: a catedral das mercadorias. São Paulo: Boitempo, 2006.

PINHO, J.B. Comunicação em marketing: Princípios da comunicação mercadológica. Campinas, SP: Papirus, 2001.

SILVA, Neuza Maria da. Educação do Consumidor. Viçosa: Ed. UFV, 2006.

SOLOMON, Michael R. O comportamento do consumidor. 9. Ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.

SOUZA, José Dalmo Silva de. Dinheiro e orçamento doméstico: guia de economia popular para sobrevivência de pais e filhos. Ijuí: Ed. Unijuí, 2008.

TEIXEIRA, Karla Maria Damiana. A administração de recursos na família: Quem? Como? Por quê? Para quê? Viçosa: Ed. UFV, 2005.

TOLOTTI, Márcia. As Armadilhas do Consumo: acabe com o endividamento. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

VEBLEN, Thorstein. A teoria da Classe Ociosa: Um Estudo Econômico das Instituições. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.
Publicado
2016-12-08
Como Citar
Leão, A. P. C., Fernandes, R. de A. U., & Martins, M. M. (2016). Empréstimos consignados e endividamento familiar: estudo junto a servidores/as públicos/as federais em Pernambuco. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 27(2), 152-174. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3747
Seção
Artigos