Morfologia e papel das redes sociais no processo de reintegração social de apenados

Stella Maria Gomes Tomé, Maria das Dores Saraiva de Loreto, Tereza Angélica Bartolomeu, José Ferreira Noronha

Resumo


O quadro de vulnerabilidade social enfrentado pelos apenados e os problemas carcerários ressaltam a importância de uma reflexão acerca das redes sociais.  Nesse sentido, objetivou-se caracterizar a morfologia e o papel desempenhado pelas redes sociais no processo de reintegração social de apenados do Sistema Prisional Comum em Piumhi/MG e da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC) em Viçosa/MG. A pesquisa exploratório-descritiva envolveu 23 indivíduos, sendo utilizado o grupo focal, a pesquisa documental e entrevistas semiestruturadas. Os resultados mostraram que a relação de confiança entre os atores sociais proporciona condições para o estabelecimento das redes, com predomínio da chamada “Rede de Íntimos”, que representa uma estratégia de produção, trabalho e reprodução social. Concluiu-se que as redes sociais, com menor dimensão e densidade, promovem reintegração social, fundamentada na aquisição de emprego e retorno à vida familiar e social, uma vez que incentivam relações de proximidade, sensação de pertencimento e reconhecimento.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais