Dádiva e sociabilidade na velhice: o caso de dois casais de idosos camponeses

  • Rita de Cássia Pereira Farias Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG
  • Adriele Schmidt Discente do Mestrado em Economia Doméstica. Universidade Federal de Viçosa. Bolsista da CAPES.

Resumo

O artigo apresenta uma reflexão sobre a importância da dádiva na velhice para preservar as relações sociais. O universo empírico foi constituído pelas famílias de dois casais de idosos, residentes em localidades muito diferenciadas, mas que desenvolvem práticas semelhantes no sentido de manter as relações de sociabilidade com a família e amigos, bem como a própria existência, a partir da fabricação artesanal de derivados do leite e de outros produtos agropecuários. O modo de vida desses idosos comprova que os alimentos produzidos, além de sustentar o corpo físico e biológico, nutrem o corpo social. Além disso, a tríplice obrigação de dar, receber e retribuir (MAUSS, 2003) contribui para que os idosos continuem ativos em termos de trabalho, se sintam úteis e mantenham a sociabilidade com familiares e amigos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita de Cássia Pereira Farias, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG
Doutora em Antropologia Social pela Unicamp. É professora adjunta da Universidade Federal de Viçosa e atua principalmente com os temas: cultura, moda, corpo, identidade, gênero e consumo, sob a ótica da antropologia. Autora do livro Uniforme e distinção: cultura, trabalho e vestimenta no Vale do Aço, publicado pela Editora UFV em 2012.
Adriele Schmidt, Discente do Mestrado em Economia Doméstica. Universidade Federal de Viçosa. Bolsista da CAPES.
Graduada em Economia Doméstica pela UFV e discente do Mestrado em Economia Doméstica. Universidade Federal de Viçosa. Bolsista da CAPES.

Referências

ANGROSINO, M.; FLICK U. (Coord.). 2009. Etnografia e observação participante. Porto Alegre: Artmed, 2009.

BRAGA, V. 2004. “Cultura Alimentar: contribuições da antropologia da alimentação”. In Saúde em Revista, Vol.6, n.º13. Piracicaba: Universidade Metodista de Piracicaba, pp. 37-43.

DA MATTA, R. 2001. O que faz o Brasil, Brasil? Rio de Janeiro: ROCCO.

GODBOUT, J. 1998. “Introdução à dádiva”. In Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 13, nº. 38, pp. 39-51. Disponível em: .

HALL, S. 2006. A identidade cultural na pós-modernidade. 11 Edição. Rio de Janeiro: DP&A Editora.

FARIAS, R. C. P. 2004. Nos bastidores da moda: um estudo sobre representações de vestuário e de imagem corporal por um grupo de pré-adolescentes. Dissertação (mestrado em Economia Doméstica. UFV, Viçosa.

FARIAS, R. C. P. 2012. Uniforme e trabalho no Vale do Aço: discursos, práticas e significados simbólicos. Viçosa-MG: Editora UFV.

IBGE. 2010. “Sinopse do Censo Demográfico 2010”. In Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em Acesso em 11/02/2014.

LARAIA, R. B. 2001. Cultura: um conceito antropológico. 18ª Ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

LIMA, C. M. G.; DUPAS, G; OLIVEIRA, I; KAKEHASHI, S. 1996. “Pesquisa etnográfica: iniciando sua compreensão”. In Rev. latino-am.enfermagem, Ribeirão Preto, v. 4, n. 1, pp. 21-30,. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae /v4n1/v4n1a03.pdf. Acessado em: 05 de maio de 2013.

MALINOWSKI, B. K. 1980. Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril Cultural.

MAUSS, M. 1974. “Ensaio sobre a Dádiva”. In Sociologia e Antropologia. São Paulo: EPU.

MENASCHE, R; ALVAREZ, M; COLLAÇO, J. 2012. “Introdução-Alimentação e Cultura em suas múltiplas dimensões”. In Dimensões socioculturais da alimentação: diálogos latino/americanos. Porto Alegre: Editora da UFRGS.
OLIVEIRA, L. M. B. 2010. “Identidade cultural”. In ESMPU. Disponível em: http://www.esmpu.gov.br/dicionario/tiki-index.php?page=Identidade+cultural. Acesso em: 16/07/2012.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS-ONU. 2013. A ONU e as pessoas idosas. Disponível em: http://www.onu.org.br/a-onu-em-acao/a-onu-em-acao/a-onu-e-as-pessoas-idosas/. Acesso em: 07/02/2014.

SAHLINS, M. D. 2003. Cultura e razão prática. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

SILVA, Y. F.; KOSINSKI, P. L.; LIMA, F. B. C.; OLIVEIRA, L. S. 2012. “A mandioca: do cultivo do 'alimento' a elaboração da 'comida'”. Anais do VII Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul, Universidade de Caxias do Sul.

SOUSA, R. G. 2012. Identidade Cultural. In Mundo Educação. Disponível em: http://www.mundoeducacao.com.br/sociologia/identidade-cultural.htm. Acesso em 16/07/2012.

SOUZA, E. C. M. P. 2012. Alimentação como cerimônia indispensável do convívio humano. Universidade de São Paulo-USP (Trabalho de Conclusão de curso), Programa de Pós Graduação em Gestão de projetos culturais e Organização de Eventos, CELACC/ECA-USP.

SOUSA, R. M. M. G. 2010. Alimentação e culinária na cultura dos descendentes de açorianos em Santo Antônio de Lisboa – Florianópolis (Ilha de Santa Catarina – Brasil). Dissertação (Mestrado em Antropologia Social e Cultural). Universidade de Lisboa- Instituto de Ciências Sociais.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. 2005. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde.

WOORTMANN, K. 1985. A comida, a família e a construção do gênero feminino. Série Antropologia, nº.50. Brasília-DF.
Publicado
2015-09-23
Como Citar
Farias, R. de C. P., & Schmidt, A. (2015). Dádiva e sociabilidade na velhice: o caso de dois casais de idosos camponeses. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 26(1), 123-142. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3702
Seção
Artigos